Facebook

O que o Japão pós-guerra ensina sobre qualidade

A gestão da qualidade é algo que hoje está presente em todos os meios de produção e de operação dentro das empresas, pois é indispensável para a manutenção da integridade dos produtos e serviços.
 
Os padrões de qualidade e segurança dentro das empresas, como por exemplo a norma ISO 9001:2015, são importantes não apenas pela manutenção dos princípios legais, mas principalmente pela sua capacidade de entregar sempre o melhor produto ou serviços.
 
Mas nem sempre as coisas foram assim, muita coisa aconteceu ao longo do tempo para que as empresas de hoje fizessem uso de um padrão interno de excelência. Essa história teve início no extremo oriente do planeta, no Japão, após a segunda guerra mundial.
 
Vamos juntos fazer uma viagem no tempo, relacionando alguns dos métodos mais utilizados atualmente com a história do surgimento da gerência da qualidade.
 
A propósito, você já parou para pensar em como o Japão se reestruturou após a Segunda Guerra Mundial?
 
A importância dos padrões

Hoje, extremamente importante dentro das empresas, as ferramentas 5S’s e os CCQ’s (Círculos de Controle de Qualidade), ao contrário do que se pode imaginar, tiveram seu início em meio ao caos e surgiram como base para a reconstrução japonesa pós-guerra.
 
Propondo uma padronização de processos como forma de cultura organizacional (fundamentos esses, que guiam as ferramentas citadas) o Japão se reergueu ao longo dos anos, tornando-se uma forte potência mundial, mesmo sendo pequeno em razões continentais.
 
Vamos entender como essas ferramentas conseguiram realizar essa façanha histórica!
 
Japão - A referência em qualidade

Após o término da Segunda Guerra Mundial o Japão se encontrava completamente devastado. Estima-se que 2,5 milhões de japoneses foram mortos, sendo destes, 80% militares.
 
Hiroshima e Nagasaki, as cidades mais devastadas, perderam aproximadamente 200 mil habitantes após o ataque de bombas nucleares lançadas pela força aérea americana.
 
Pobreza, fome e desolação assombraram a ilha japonesa ao longo dos anos que se sucederam.
 
O processo de reconstrução seria longo e minucioso!
 
Influência de Deming e Juran
Dois ícones históricos tiveram participações fundamentais no processo de reconstrução, são eles, William Edwards Deming (1900 - 1993) e Joseph Juran (1904 - 2008).
 
Confira como foi feito o trabalho desses gurus da qualidade.
 

  • William Edwards Deming: Americano, mudou-se para o Japão após a Segunda Guerra Mundial. O seu trabalho realizado em prol da cultura da qualidade foi tão importante para o país que Deming ficou conhecido como o estrangeiro que mais contribuiu com o crescimento do Japão!
 
Sua metodologia mais impactante é denominada PDCA (Plan - Do - Check - Action), que visa a melhoria contínua após a checagem constante de processos.
 
  • Joseph Moses Juran: Convidado para trabalhar em parceria com Deming no Japão, Juran é mais um dos ícones responsáveis por revolucionar a cultura da qualidade no período pós-guerra.
 
O ápice de seu projeto é alcançado com a elaboração da Trilogia Juran, que propõe três análises específicas para os processos: Planejamento, Controle e Aperfeiçoamento. Ciclo este que deve ser repetido de forma constante.
 
O trabalho de Deming e Juran teve reflexos intensos na indústria japonesa, o que logicamente refletiram na economia nacional.
 
Cases japoneses do pós-guerra

Alguns dos cases de sucesso (que continuam sendo referência até hoje) que foram influenciados pela cultura da gerência da qualidade são destacados abaixo:
 
  • Nikon: A hoje centenária Nikon, que possui seu nome proveniente de “Nippon Kogaku” ou “Óptica Japonesa”, foi fortemente impactada pela cultura da qualidade no período pós-guerra. Após voltarem aos trabalhos por conta do fim da paralisação geral no país, o propósito de fornecer produtos com a melhor qualidade e tecnologia de ponta colocou a empresa no topo das principais empresas mundiais do ramo;
 
  • Sony: Surgindo exatamente após o período da Guerra, inclusive em uma região que havia sido bombardeada, a Sony, liderada por Masaru Ibuka e Akio Morita, se baseou nos princípios de qualidade e inovação para se tornar destaque no meio tecnológico. Atualmente a Sony é a quinta maior detentora de um conglomerado midiático no mundo;
 
  • Yamaha: Fundada em 1887 por Torakusu Yamaha, a empresa Yamaha iniciou suas atividades fabricando pianos e órgãos. Porém, após a Segunda Guerra Mundial, a empresa expandiu as suas funções, baseando-se em princípios de qualidade e conhecimentos tecnológicos, iniciando a fabricação de motocicletas viriam a figurar entre os principais nomes do ramo no cenário mundial;
 
  • Honda: Foi em uma oficina própria onde Soichiro Honda realizava seus testes com peças e motores que a história do motociclismo teve início. Visionário, observou o cenário caótico que havia sido implantado nos trens do Japão pós-guerra e resolveu então implantar motores em bicicletas e então ofertá-las. Honda resolveu ir além e, baseando-se em princípios de qualidade, realizou testes até lançar o próprio motor, que viria a ser o componente principal da primeira motocicleta Honda.
 
Princípio de qualidade total

O que essas empresas possuem em comum, além do sucesso estrondoso que alcançaram?
 
Todas elas foram pioneiras na implantação de ferramentas de qualidade, que ditaram os caminhos a serem percorridos para que a excelência fosse alcançada.
 
Quando se realiza um trabalho organizado e bem planejado, em que os pontos de melhoria são identificados e as falhas são previstas antes de acontecerem, o nível de eficácia dos produtos aumenta, assim como a satisfação dos clientes. Já o custo diminui, por conta de gastos desnecessários que são eliminados.
 
O Japão, como nação que é, nos mostra como a gestão da qualidade é peça chave para o progresso em qualquer ambiente, seja em um grande ou em um pequeno negócio.
 
Modelos que permanecem atuais
Outros métodos que são muito utilizados no mundo todo atualmente também tiveram início no Japão, como é o caso dos 5S’s, citado no início do texto. Criado por Kaoru Ishikawa, visava o combate ao desperdício durante o processo de reestruturação do país. Os CCQ’s propunham a análise contínua da economia do país, identificando os pontos que precisavam de ajustes.
 
Percebe como a gestão da qualidade é imprescindível para o progresso adequado de um ambiente? Se um país inteiro pode ser reconstruído por conta da utilização das ferramentas de qualidade, imagina como uma empresa pode se transformar e alcançar incríveis resultados!
 
Como está o gerenciamento da qualidade da sua empresa? O monitoramento acontece de forma contínua, demonstrando os passos adequados a serem tomados?
 
Se esse controle ainda não existe em seu negócio, saiba que você pode estar perdendo recursos e enfrentando “imprevistos” que poderiam muito bem serem previstos!
 
Já pensou em contar com um software que te oferece todos os passos para uma gestão plena da qualidade dos processos de sua empresa? Conheça agora mesmo o DOO, um sistema de gestão da qualidade, adequado com as ferramentas que atendem às normas da ISO 9001!
 
Acompanhe o blog do DOO e receba valiosas informações que irão te ajudar com a manutenção da qualidade do seu negócio!
 
 

09 de Março de 2020

Tags:

japão qualidade pós-guerra guerra