Facebook

A Indústria 4.0 é a era da fábrica inteligente

Quem trabalha com gestão ou atua em alguma atividade ligada à indústria tem ouvido falar muito em Indústria 4.0. Mas se você não domina totalmente o conceito, não se preocupe, ele é recente: surgiu pela primeira vez em 2011, em um projeto lançado pelo governo alemão com o objetivo de colocar o país à frente no uso da tecnologia na indústria.
 
O conceito de Indústria 4.0 engloba uma série de avanços tecnológicos aplicados à produção de bens e serviços. Avanços que permitirão automatizar processos industriais a níveis até então nunca imaginados.
 
O termo 4.0 faz referência à quarta revolução industrial, que é como esse momento histórico está sendo visto no mundo. Pois a fusão entre tecnologia digital, internet e a indústria prevê transformar a maneira como produtos são fabricados e consumidos. 
 
Se quer saber entender mais sobre Indústria 4.0, é só continuar lendo. 
 
Possíveis resultados da Indústria 4.0
 
O que se espera como resultado dessa revolução industrial digital é uma crescente flexibilidade da produção, customização em massa (produtos feitos sob medida para cada consumidor), mais velocidade de entrega, melhor qualidade e aumento de produtividade. Tudo isso com economia de recursos financeiros e naturais.
 
É necessário investimento, é claro, em equipamentos, tecnologias de informação e comunicação, em análise de dados e na integração dos fluxos de dados por meio da cadeia de valor global.
 
Como chegamos até aqui
 
Você deve se lembrar, das aulas de história, que a primeira revolução industrial teve como marco a mecanização da produção, com o uso de motores a vapor. Isso teve início em 1780 e ampliou consideravelmente a capacidade de produção em comparação com a força humana, que era o que se tinha até então.
 
No século seguinte, por volta de 1870, veio a segunda revolução industrial, com a descoberta da energia elétrica e a implementação do conceito de linha de produção por Henry Ford.
 
O modelo da segunda revolução industrial perdurou até os anos 1970, quando então foi iniciado o processo de automação parcial da produção, com o uso de controles e computadores programáveis, dando início à terceira revolução industrial.
 
Ela trouxe os eletrônicos e os avanços das tecnologias da informação e das telecomunicações para dentro das fábricas. Tais tecnologias já evoluíram de tal modo que hoje tem-se a possibilidade de automatizar todo um processo produtivo. É o caso de robôs na indústria automotiva, por exemplo, que montam partes de um carro.
 
O mundo 4.0 é digital
 
Hoje, o que se vislumbra com a Indústria 4.0 é o conceito da fábrica inteligente. É um novo paradigma, construído sobre as bases da terceira revolução industrial.
 
É levar as fábricas atuais a um patamar no qual as máquinas estão conectadas com a internet e entre si. Tudo pode ser gerenciado em tempo real e de lugares diferentes.
 
Há uma ampla gama de tecnologias sendo desenvolvidas e integradas para se chegar a esse patamar. Conheças as 7  principais:
 
1- IoT: É Internet das Coisas, conhecida pela sigla americana IoT, abreviação de Internet of Things. É a conexão e comunicação, via internet, entre sistemas, sensores, máquinas, equipamentos e “coisas” diversas, permitindo acompanhar e controlar o desempenho de tudo em tempo real.
 
2 - Cloud computing: É o uso de sistemas e aplicativos de todos os tipos armazenados em nuvem e usados para gerir todo tipo de atividade na empresa. O resultado é uma grande economia com infraestrutura de TI, comunicação e armazenamento de dados, com segurança. A Indústria 4.0 pode ser acessada de qualquer lugar.
 
3 - Big Data e analytics: É o uso das tecnologias de Big Data e Data Analytics para a coleta, tratamento e análise da imensa quantidade de dados produzida por uma empresa, mas que são dispersos e não estruturados
 
Dentro do conceito de Indústria 4.0, dados diversos podem ser analisados, cruzados e estruturados, gerando insights valiosos para a tomada de decisão e a condução dos negócios.
 
4 - Cobots: Robôs que atuam juntamente com o ser humano,  ampliando a força do executor de uma tarefa manual, tornando-a mais leve e rápida.

5 - Digital Twin: Em tradução literal, é o “gêmeo digital”, ou seja, uma tecnologia que busca criar uma cópia virtual de tudo dentro da produção. Na Indústria 4.0, será possível fazer simulações em ambiente virtual para otimizar processos, prever falhas e fazer testes.  

6 - Manufatura aditiva: É o uso de impressoras 3D para fabricação de objetos em camadas, sobrepostas umas às outras, tendo como base um modelo digital. Este ano deve chegar ao mercado o primeiro carro elétrico feito inteiramente com peças impressas. O modelo LSEV é uma parceria da startup chinesa Polymaker com a fabricante italiana de carros elétricos XEV

7 - Inteligência artificial: São ferramentas de computação que permitem a  e robôs simularem a capacidade humana de raciocínio, solução de problemas e tomadas de decisão. Permitirá a automatização de vários processos.

Indústria 4.0 é a era da fábrica inteligente

A Indústria 4.0 altera drasticamente a relação homem-máquina no processo produtivo. Com a internet das coisas e a inteligência artificial, as máquinas e sistemas poderão trocar informações entre si e tomar decisões sozinhas.
Um exemplo hipotético bem simples pode ser o da linha de produção de um produto que, em seu acabamento, precisa de porcas, parafusos e arruelas.
Hoje, o controle de estoque destes componentes é manual e torna necessário ter um volume muito maior do que o efetivamente utilizado porque a velocidade de consumo é tida apenas pela média mensal.
Dentro de um conceito de Indústria 4.0, essa linha de produção teria um sistema inteligente no recipiente de armazenamento dos componentes em questão. Um sistema com uma câmera infravermelha que acompanha o montante de peças usadas, conectada com o sistema de gestão e de compras da empresa.
Caso a quantidade de peças esteja abaixo do estoque necessário previsto para cumprir com o planejamento de produção, o depósito irá encomendar automaticamente as novas peças à área de compras.

Ganhos de eficiência e economia

Os ganhos da implantação das tecnologias da Indústria 4.0 são inúmeros: aumento da produtividade, redução de custos, maior controle sobre o processo produtivo e customização da produção, entre outros.
 
A ABDI (Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial) estima que a migração da indústria para o conceito 4.0 pode gerar uma redução anual dos custos industriais no Brasil de R$ 73 bilhões por ano. Essa economia viria de ganhos de eficiência, queda nos custos de manutenção de máquinas e redução do consumo de energia.
 
A indústria brasileira ainda tem um longo caminho pela frente para a implantação da Indústria 4.0, mas o primeiro passo é o conhecimento. Se você gostou deste tema e quer saber mais detalhes das tecnologias ligadas à indústria 4.0 como a Internet das Coisas, continue lendo o blog da DOO


27 de Maio de 2019

Tags:

gestao da qualidade tecnologia gestao empresarial gestao e tecnologia gestao para industrias sgq para industria qualidade industria 4.0 industria 4.0